Uma coisa é uma coisa…

Como diria o ditado popular: “Uma coisa é uma coisa, outra coisa, é outra coisa”

Depois de ver na imprensa várias pessoas tentando “boicotar” a Tocha Olímpica, jogando água para apagar o fogo, senti necessidade de escrever algo.

Não é nenhum segredo (aliás muito pelo contrário), todos sabem que sou contra a sede dos Jogos Olímpicos no Rio.

Porque? Por inúmeras razões: corrupção, superfaturamento, descaso com o povo, gastos desnecessários, falta de investimento no esporte de base, criação de “elefantes-brancos”, etc.

Ok, isso é uma coisa.

Agora, outra coisa, COMPLETAMENTE DIFERENTE, é a representatividade dos Jogos Olímpicos. Algo que transcende qualquer questão política, econômica ou partidária.

A Olimpíada é (fato) o maior evento do mundo! Não simplesmente o maior acontecimento esportivo do mundo, mas sim a passagem mais importante do mundo a cada 4 anos.

Nada nesse planeta, mobiliza, emociona, diverte e comove mais pessoas do que os Jogos Olímpicos. É algo MÁGICO! Os povos se unem, deixam rixas de lado, comungam para um único fim: O ESPÍRITO ESPORTIVO OLÍMPICO!

Representado pelo “Fogo Olímpico”, a alma dos Jogos (e aquilo que eles representam), traduz-se em uma chama mágica que percorre o mundo.

Esse espírito mostra-se como algo imaculado, incorrupto, eivado de verdadeira índole e idoneidade. E não estou falando de jogos, corridas, disputas, recordes, vencedores e perdedores. Algo muito maior que isso, algo que é as vezes inexplicável.

O maior orgulho da minha vida, foi – sem dúvidas – defender meu país e participar em duas oportunidades desse espírito olímpico (Sidney 2000 e Atenas 2004).

Muito me entristece saber que o Brasil está desperdiçando dinheiro para sediar os Jogos, superfaturando obras e desviando recursos.

Mas da mesma forma, muito me entristece saber que as pessoas confundem isso com o “Espírito Olímpico”. Esse, não tem nada a ver com a corrupção e incompetência dos nossos gestores. Apagar a chama olímpica em nada irá contribuir para o fim da corrupção ou superfaturamentos.

Jogar água na Tocha é simplesmente faltar com o respeito perante milhares de atletas e nações que dedicam esforço sobre humano para estarem presentes nesse evento mágico.

Quer fazer algo útil contra a corrupção. Denuncie as obras irregulares. Cobre dos seus vereadores, prefeitos, deputados, governadores, etc. Enfim, vote certo! Não venda seu voto. Ensine seu filho a não ser corrupto ou corrompido.

Resumindo, faça algo útil, ao invés de xingar e apagar a chama que representa tudo aquilo que você luta: UM MUNDO MELHOR!

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *