“EU JÁ SABIA”…

Ano olímpico? Seleção fechada?

Pra que investir na base de 2016???? Façamos isso em 2015!!!

______________________________________________________

Do Blog do Tomazini:

O “DESCASO” no Brasileiro Júnior/Sênior: rumo a 2016?

Olá caros amigos blogueiros…
Prometo nas próximas palavras não inventar e principalmente, não aumentar nada em todos os relatos que citarei.

Estamos em Brasília no Campeonato Júnior/Sênior, provavelmente, nossa próxima geração olímpica que estará representando o Brasil em 2016, sendo assim, ainda esbarramos em algumas “poucas” dificuldades que todos clubes, treinadores, e atletas estão a mercê quando é colocado um Campeonato desorganizado e desestruturado desta magnitude em uma cidade como Brasília.

Bem, segue abaixo alguns relatos do que estamos encontrando aqui em Brasília:

1-) Congresso Técnico com o representante “tapa buraco” como ele disse da CBDA: Sérgio Silva
2-) Foi dado aos técnicos um balizamento, que na verdade, não valia nada pois o mesmo foi feito antes dos cortes… ABSURDO!!!:
3-) O novo balizamento é dado em todas as etapas para os técnicos… e mesmo assim, sempre com problemas;
4-) No Parque Aquático, piscina de competição semi-fria, tanque de soltura gelada e sem raias;
5-) Caixa de som estourada, distorcendo o som e atrapalhando em muito os aquecimentos e o entendimento do que se fala no Complexo;
6-)Placar apenas com 1 display e colocado em um lugar que a única pessoa que não consegue ver o resultado é o atleta que nadou… não é brincadeira…
7-)As placas da cabeceira oposta da piscina soltas e sem o cabo necessário para uma simples homologação de tempo na abertura de revezamento, isso falado pelo Árbitro Geral quando indagado: “Esqueceram os cabos…”
8-)Balizas sem lixa ou placas, destreinando equipes que possuem saídas de revezamentos 0.10 e menores, e desclassificando no olho, irregularmente times provado em filmagens;
9-)Iluminação do complexo extremamente fraca e prejudicando a mesma dentro da piscina
10-)Banheiros inutilizáveis pelos nadadores e com muita falta de higiene.

Todos podem acreditar que esta é a realidade que estamos vivendo aqui em Brasília, hoje após as eliminatórias da segunda etapa foi feita uma reunião entre os técnicos pressionando os responsáveis contra tudo isso citado acima, pois está interferindo diretamente no resultado dos atletas, mas alguém sabe quem é o responsável? Todos vocês imaginam como vai acabar isso né? Enfim, quero dar aqui meus PARABÉNS para iniciativa do GRÊMIO NÁUTICO UNIÃO, que ao invés de estar aqui sofrendo tudo isso, utilizou esta verba e foi para uma competição INTERNACIONAL NA ARGENTINA… ahhh que inveja! Iniciativa que deveria ser copiado por todos NÓS, clubes que desenvolvem natação com amor, suor e investimento.

Vamos ver até quando a geração 2016 sofrerá o DESCASO imposto por nossos comandantes… será esse o caminho? Será através de Campeonatos como este que estaremos alimentando a nossa nova geração olímpica? Será que o CTN esta realmente sendo ouvido e respeitado? Alguém consegue responder esta pergunta ou vai fugir da alçada de todos?

Aguardem, pois já dizia um eterno e grande amigo meu: ”NADA ESTÁ TÃO RUIM QUE NÃO POSSA PIORAR!”

Abraços

TOMAZINI

NOTA DO FISCHER:

É meu amigo… Parece que nada vai mudar… pelo menos tão cedo… Lastimável!

UM ABRAÇO!

FISCHER.

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *