NEVER give up!

O ano era 2008… Seletiva Olímpica para Pequim… E lá se vão exatos 8 anos a contar desse post de hoje…

Desde minha semifinal nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004, eu ainda não havia conseguido melhorar minha marca nos 100 peito (1.01.84).

Para alguém acostumado a quebrar barreiras contra o relógio a todo e qualquer momento que eu caía na água (fosse para uma competição importante ou secundária), aquilo era muito, mas MUITO incomodo pra mim.

De 2000 à 2004, eu devo ter quebrado o recorde sul-americano pelo menos umas 30 vezes.

Vinha de 2 lesões graves: uma ruptura de adutor em 2006 e uma inflamação com necrose no púbis em 2007. Para muitos, eu “era bananeira que já tinha dado seu cacho”… Ou seja, estava em final de carreira.

Mas nós tínhamos treinado duro, muito duro! E eu tinha que provar alguma coisa para mim mesmo…. e essa “alguma coisa” era que eu NÃO estava “morto”.

Habituado a sempre nadar com uma estratégia mais conservadora (passando mais fraco e voltando mais forte), percebi que minha única chance de virar o jogo, seria fazer algo diferente nas eliminatórias. Foi quando decidi que faria uma passagem “kamikaze” e voltaria como fosse possível.

No vídeo vocês podem não entender minha vibração um pouco fora do comum… afinal, nem com a vaga eu fiquei (mesmo nadado abaixo do índice)… mas a vibração era porque eu tinha provado – pra mim mesmo – que o índice olímpico era SIM possível!

Infelizmente, os meus adversários nadaram melhor… e eu assisti os Jogos Olímpicos de Pequim de casa, na madrugada, de frente à TV, chorando copiosamente!

Foi triste?! Sim, MUITO! Mas ao mesmo tempo foi uma vitória pessoal. Afinal, o objetivo – que era o índice para as Olimpíadas – havida sido alcançado!

Hoje guardo grandes recordações… A vida nos ensina muitas coisas, e uma delas é que até mesmo na derrota, podemos encontrar a redenção pessoal.

Boa sorte aos amigos que disputarão a partir de amanhã a última seletiva para os jogos Rio 2016.

UM ABRAÇO!

FISCHER.

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

2 thoughts on “NEVER give up!

  1. Só li esse post hoje, tinha visto somente um do face.
    Cara… vou te falar, por mais inspirador que tenha sido o texto, confesso que ao ler o seu “de frente a tv, chorando copiosamente…” foi uma pedrada dolorida… Difícil imaginar a cena, ainda mais sendo um torcedor seu e vibrando com a sua performance que filmei aquele dia, a fortaleza que vc sempre transpareceu ser e tendo aquela imagem sua de positividade na semi final de Atenas. Você MERECIA e era o mais preparado para estar lá em Pequim. Mas o esporte é assim, as vezes nos deixa tristes.
    (Peito sempre foi meu PIOR nado disparado, detesto kkk, mas curtia suas provas)
    Abraços e saiba que motivei a voltar a nadar de manhãzinha depois dos seus posts madrugando pra “bater água”.

    1. É Brother… O esporte é assim mesmo… Nos propicia uma “montanha-Russa” de emoções! kkk!

      Vi que voltasse a nadar pela manhã! Muito bem, gostei de ver! Bem melhor que correr, não é? 🙂

      Sucesso e abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *