SEM APOIO DA CBDA, PROMESSA DEIXA DO BRASIL…

Para que investir na formação de novos atletas e talentos?!

A pergunta parece (e é) absurda. Mas alguém deveria pedir uma resposta pro Presidente da CBDA.

Direto do Correio Brasiliense:

TALENTO EM MIGRAÇÃO
Promessa para os Jogos Olímpicos do Rio-2016, Majda Chebaraka deixa o Brasil. A atleta, de 13 anos, treinava em Brasília, onde conquistou quatro recordes juvenis. Apesar dos bons resultados, não conseguiu patrocínio

BRAITNER MOREIRA

O Brasil perde, hoje, uma das principais promessas de medalha das próximas edições dos Jogos Olímpicos. Ao meio-dia, Majda Chebaraka, 13 anos, embarca de volta para a Argélia, depois de morar em Brasília por quatro anos. Estudando e treinando na capital do país, a atleta estabeleceu quatro recordes juvenis e se transformou no nome de mais destaque da geração anos 2000.

Sem apoio financeiro nem logístico da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), a pequena sai com a promessa — feita pelo ministro do Esporte argelino, em visita a Brasília para conhecê-la — de um programa específico de treinamentos para que defenda a Seleção do norte africano.

Majda deixa o Brasil na esteira do encerramento da missão diplomática do pai no país. “Saio com um apertozinho no coração”, lamentou a tímida garota, ontem à tarde. O último treinamento à beira do Lago Paranoá ocorreu no clube da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), mais uma vez sob o comando do professor Hugo Lobo, treinador da Seleção Brasileira entre 1996 e 2007. Nessa sessão derradeira, a touca verde-amarela que ela gostava de vestir ficou de lado. “Já deixei embalada para levar comigo”, contou.

O acessório que Majda pretendia utilizar quando fosse convocada para a Seleção Brasileira de natação está guardado em uma das 17 malas que a família Chebaraka vai despachar. O retorno à Argélia vai durar 28 horas, tempo dividido entre o avião e o aeroporto. Mas um possível retorno está na cabeça da menina. A meta é voltar ao país para disputar as Olimpíadas do Rio, em 2016: “É só treinar, treinar, treinar. Eu amo isso aqui, não vou conseguir esperar a hora de pular na água outra vez”.

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *