ÓTIMO TEXTO DO MEU “PRESIDENTE”…

Ele é “apenas” candidato em uma chapa de oposição ao Sr. Coaracy…

Mas pra mim, é o cara! Deu a cara à tapa e lançou à oposição!!!

O texto abaixo é dele…

ABRAÇO!

FISCHER.

_____________________________________________

“Apenas São Paulo não me apoiou”

A frase acima é do presidente da CBDA, Coaracy Nunes Filho, em entrevista ao jornalista José Cruz, numa reportagem publicada ontem, dia 19, no portal UOL:

Você poderá conferir a reportagem completa clicando aqui.

O foco da reportagem de Cruz, que também é colunista/blogueiro, é em cima do conflito de patrocinadores entre a CBDA e o maior nome da natação brasileira César Cielo. A CBDA tem um contrato em vigor com os Correios de mais de 20 milhões. Cielo tem um contrato com a Embratel, e apesar de vestir uma camiseta dos Correios, sempre dava preferência ao uniforme com a logomarca da Embratel.

Dá a entender que Cielo não é patrocinado pelos Correios. Ou que recebe bem menos que a Embratel.

Mas o que quero focar é essa frase do título: “Apenas São Paulo não me apoiou”.

O gancho para esta frase foi sobre a eleição marcada em 9 de março, explicando que a chapa Muda CBDA não foi registrada porque não tem apoio de 5 Federações Aquáticas e gabando-se de ter o apoio por escrito (embora nunca tenha mostrado publicamente) de 26 das 27 Federações Aquáticas filiadas à CBDA. Quem não o apoia? A Federação Aquática Paulista.

Notadamente, é a maior Federação Aquática do país. Em número de atletas, filiados, funcionários e faturamento. Organiza mais de 100 eventos por ano. De acordo com levantamento realizado no Ranking Swim It Up! 2012, de 241.530 resultados de atletas no ano passado, 70.302 são de São Paulo, ou 29%. Mais: 4.882 de 21.298 atletas pertencem à equipes sediadas em São Paulo. Ou quase 23%.

Um quarto do Brasil está sob a tutela da Federação Paulista.

E Coaracy diz que “apenas São Paulo” não o apóia? Então não será unanimidade. Já é um avanço em 24 anos de Coaracy no poder da CBDA.

Na reportagem também vemos como é míope a visão e imediatista os objetivos da CBDA em relação aos próximos quatro anos:

Dos R$ 22 milhões dos Correios, R$ 10 milhões são “carimbados”, isto é, tem aplicação específica no Projeto Medalhas Rio 2016. Nesse projeto, o governo federal investirá mais recursos na preparação dos atletas com potencial de chegarem às finais olímpicas. Já o apoio do Bradesco está garantido até 2016, segundo o dirigente.
“Na CBDA, vamos concentrar esforços na natação e na maratona aquática. É aí que temos chances de conquistar medalhas”, afirmou Coaracy Nunes.
Quase 50% da verba dos Correios é para um projeto que visa uma única competição. Mas a realização completa só se dará, claro, se os Correios renovarem o contrato em 2014.

E das 5 modalidades, explicitamente jogou para escanteio o polo aquático, saltos ornamentais e nado sincronizado. Pois afinal, a medalha é o objetivo último. Além disso, leva muito tempo para dar condições a um atleta com condições de medalha – já que a formação leva tempo.

Ao contrário de muitos, sou da opinião que não é função de uma Confederação ou Federação “formar” o atleta, mas sim dar a eles condições de nível competitivo, quando este o atingir. Quem forma o atleta, na minha opinião, é uma combinação: ele próprio, sua família e o seu técnico. O clube? O clube depende porque existem clubes sociais e clubes esportivos.

Mas para Coaracy, despejar dinheiro em 5 a 10 atletas para obter medalhas é muito melhor que planejar a longo prazo, organizar uma clínica com antecedência ou ainda fazer coisas simples, como divulgar uma convocação oficial corretamente.

Querem nos cegar com a magia da Roma antiga, o “pão e o circo”, assunto que já havia escrito há mais de 2 anos atrás. Mas eu não caio nessa. E você?

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *