MOVIMENTO “ANTI-COARACY”…

Até que enfim alguém decidiu enfrentar o ditador!

MEUS PARABÉNS E CONTE CONOSCO!

Carta aberta do Presidente da Federação Aquática de Rondônia:

Amigos Presidentes,

Mais uma vez caímos no conto do vigário, e diga-se de passagem “um vigário Presidente”, esperto e matreiro.

Na ultima Assembléia Geral da CBDA não fomos pegos de surpresa não, fomos sim ingênuos e pueris ao ponto de elocubrar mais uma vez situações, passando um atestado de 100% de toda nossa credibilidade a outrem, para dirigir por longo tempo verbas, projetos, pessoas, sonhos e destinos, da forma que bem entender; creiam e acreditem que as Federações não fazem parte dessa ideia olímpica traçada pelos honrados membros da CBDA.

Tivemos a real possibilidade de reverter essa pendenga financeira-administrativa, infelizmente não fomos hábeis o suficiente para mantermos o que tínhamos acordado na véspera da votação, muitos de nós se acovardaram, mudaram de discurso na hora do olho-no-olho, simplesmente fraquejamos e temos, todos, de nos colocarmos em igual condição quanto ao não alcance de nossa reivindicação maior que era a “ajuda” ou repasse financeiro mensal, que iria “salvar” a grande maioria das Federações estaduais.

Ressaltando um linguaja até certo ponto chulo, percebo a um bom tempo, que a CBDA está nem um pouco se lixando com as Federações, ela apenas usa de forma promíscua nossas entidades para darmos legitimidade, sustentabilidade e credibilidade para que ela, CBDA, consiga efetivar os vultuosos contratos com os Correios e outras grandes empresas, em troca de uns famigerados computadores, sistemas eletrônicos de competição (placas, etc.) e as já famosas medalhas, que diga-se de passagem não estava ao alcance de todos, não esquecendo da hospedagem “placeba” que ocorre uma vez ao ano por ocasião da AG, apenas isso, sem esquecer os muitos blá, blá, blás…

A CBDA, ou o Coaracy, não conseguem perceber que todo o trabalho com as suas cinco modalidades olímpicas se dá a partir de sua base nos Clubes, Associações e Escolinhas de Natação, indo além, prosseguindo até o ápice do sucesso dos atletas, sendo apoiados de forma abnegada pelas Federações que por vezes mendiga em parceria com os Clubes às portas de governos e empresas tentando concretizar ações. Falta-lhes a sensibilidade e visão para se investir em um suporte financeiro significativo para qualificar metas locais e dessa forma alavancar de forma sustentável o desporto aquático brasileiro a partir de sua base, valorizando a regionalização de modo contínuo e duradouro, onde na atualidade, paga-se mal treinadores, oferece-se prêmios insignificantes aos atletas e entidades, pais explorados, sendo comum aos dirigentes exercitem a abnegação e a corda bamba financeira.

Pra finalizar amigos, creio que ainda há solução para resolvermos essa pendenga, vamos aproveitar o momento social por que passa nosso Brasil com esse movimento nacional expressado de forma emblemática nas ruas e vamos pro embate, finalmente. CONCORDO com o colega Presidente Márcio do Maranhão e vamos fazer um grande boicote às competições do Calendário Nacional; possa ser que tenhamos outras ideias de confronto, colocá-las em prática será necessário, quem sabe. Vamos demonstrar nossa insatisfação, somente assim eles nos perceberão… vamos parar de sermos covardes e agirmos de forma bem mais enfática em nossas atitudes, vamos deixar um legado, está na hora de fazermos história, vamos dar um basta e pararmos com essas conversinhas com a CBDA, sem direção e objetividade, vamos nos arrepender pelo que fizemos e não pelo que poderíamos ter feito, é mais digno, e lembro que dessa vida não levamos nada, apenas nossa história e nossa dignidade. Ainda há tempo!!!!!

Nadylson Rodrigues, Presidente Federação Aquática de Rondônia

NOTA DO FISCHER:

Dizer mais uma vez “eu avisei” não resolve o problema.

O primeiro passo para correção de um erro, é o reconhecimento do mesmo.

Apesar de encontrar-me um tanto quanto “chateado” com os presidentes de federações, por não terem respondido nosso e-mail de apoio à candidatura de oposição, não é de minha índole abandonar uma causa justa e verdadeira.

Dessa forma, caso as federações aquáticas dos estados federados precisem de qualquer tipo de auxílio jurídico para efetivação do mencionado “boicote”, podem contar comigo e meus humildes conhecimentos.

Fico à disposição.

Um abraço,

Eduardo Fischer.

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *