JUST PERFECT!

Assim que classifico a tréplica dada pelo Sr. Nadylson M. B. Rodrigues ao Presidente Coaracy, em referência ao infundado boletim divulgado em resposta aos legítimos pedidos da federação de Rondônia.

Extenso, mas vale o tempo despendido! 🙂

Um abraço!

Fischer.

___________________________________

Porto Velho, 09 de julho de 2013.
Boletim n.º 014/FAER-2013.
Ao
Sr. Coaracy Nunes Filho
Presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA

Senhor Presidente,
Li atentamente o Boletim Circular nº 197/2013, enviado a todas Federações, em caráter de URGÊNCIA, dizendo que acusei sua honra pessoal e de Presidente da CBDA. Estonteante engano, em nenhum momento do documento encaminhado através de e-mail às Federações filiadas à CBDA, houve ofensa a sua honra pessoal ou na prerrogativa de Presidente de nossa entidade maior, a CBDA.
Presidente, antes de mais nada, convém me apresentar: estamos na labuta com a natação brasileira, em especial a do Norte-Nordeste por aproximadamente 50 anos, primeiramente na condição de atleta a partir de tenra idade, depois como Professor, Técnico e Dirigente desportivo nos Estados do Pará, Maranhão e Rondônia, do tempo em que a natação era regida pela antiga CBN, Confederação Brasileira de Natação, lembra? Época essa em que fui Diretor Técnico das Federações de Rondônia e do Maranhão e desde 2009 estou na qualidade de Presidente da Federação Aquática do Estado de Rondônia – FAER, o qual sou também um dos fundadores, muito antes de Vossa Senhoria candidatar-se a Presidente da CBDA.

Nos seus 23 anos a frente da CBDA, fui membro do Conselho Técnico Nacional representando primeiramente o Estado de Rondônia, do Maranhão e novamente Rondônia, onde resido atualmente, do tempo em que a CBDA nomeava seus membros para participação das reuniões do
Conselho Técnico e não disponibilizava passagem alguma e quem quisesse participar das reuniões que se deslocasse por conta; hotel e alimentação comumente a CBDA providenciava.

Ressaltamos, sem demagogias, que politicamente juntos com outros companheiros de vários Estados, fomos responsáveis pela criação de alguns eventos históricos que fazem parte do atual Calendário Nacional.

Hoje, além de Presidente de Federação Aquática, professor universitário, Professor e Técnico de natação, continuo contribuindo com o crescimento e sedimentação da natação brasileira, com alguns campeões brasileiros em meu currículo, mesmo trabalhando em estados economicamente deficitários como Rondônia e Maranhão, excluído-se assim a necessidade de querer aparecer por 15 minutos, como Vossa Senhoria mencionou com tanta ignescência em seu Boletim.

Assim sendo, esmiuçando o Boletim Circular nº 197/2013 enviado, e para melhores entendimentos, esclarecemos:

1) Nossos pedidos de ordem operacional junto à CBDA, durante esses anos que estou a frente da FAER, sempre ocorreram de forma coletiva, junto com os demais presidentes por ocasião das Assembléias Gerais/CBDA, e essas reivindicações sempre ocorreram em prol da melhoria dos esportes aquáticos brasileiros e por vezes não fomos atendidos;

2) Todas as medalhas enviadas de 2010, 2011 e 2012 não foram prerrogativas específicas da FAER, e sim da maioria das Federações, lembramos que algumas não receberam tais medalhas, como Vossa Senhoria bem tem conhecimento;

3) Em 2010 recebemos, a exemplo de outras Federações 1 notebook, no entanto não chegou no Estado de Rondônia nenhuma impressora encaminhada pela CBDA como V.S.ª menciona;

4) Todo o material eletrônico enviado pela CBDA, é sob regime de comodato, portanto não é “dado”, figuramos apenas na condição de

gerentes desses produtos que vão ficando nas Federações e são bem úteis, lógico, e ressaltamos mais uma vez: não foi disponibilizado apenas à Federação de Rondônia, como se está dando a entender e sim a todas Federação Aquáticas, sendo prometidos sempre em Assembléia Geral, nada mais justo de estarmos incluídos nesse processo, o mesmo ocorreu com as raias encaminhadas.

5) Em 2013, infelizmente, não recebemos até o momento nenhuma medalha, conforme decidido no Rio de Janeiro por ocasião da Assembléia Geral, e enfatizado no Boletim 197 como se fora entregues, podendo ter havido algum problema de entrega com os Correios. É claro, a exemplo das outras Federações queremos receber sim e nos serão bastante úteis.

6) Orson Welles, grande cineasta americano, dizia no passado que “no futuro todos terão os seus 15 minutos de fama”. É, de fato alguns perduram por anos, e eu nunca tive a necessidade de “aparecer” como o Senhor se refere, meu currículo não permite, se assim o fosse teria feito a mais tempo e com melhor repercussão, facilmente, mesmo morando em Rondônia.

7) Quanto a sua ida a Brasília, acompanhado pelo Presidente Amin de Santa Carina, justifica a solicitação de todos os Presidentes de Federações durante a AG/CBDA do início ano, que reivindicavam com bastante propriedade a famigerada ajuda financeira mensal às Federações, que poderá em sua grande maioria salvá-las, tirando-as da bancarrota.

8) No Boletim 197 não se justifica e não há cabimento, além de ser muito infeliz o termo “Apesar do Sr. Nadylson Rodrigues, a luta continua no Ministério dos Esporte”, grifo nosso, como se “eu” estivesse emperrando ou impedindo algum trâmite ou influência negativa pra que um possível “repasse” financeiro às Federações não se torne realidade. Espero que, se por ventura ocorrer algo de negativo, e não é isso que queremos, não seja “eu” responsabilizado por Vossa Senhoria por esse tipo de dissabor.

9) Seria de bom alvitre se a CBDA elencasse os documentos necessários ao pleito junto ao Ministério dos Esportes, e os encaminhasse às

Federações para conhecimento e providências. Afinal, quais são essas “certidões”? Entrei em contato com diversas Federações que a exemplo da FAER ainda não tomaram conhecimento oficial de tal rol, tão pouco os trâmites administrativos a serem seguidos.

10) Finalmente, se o Boletim 197 é destinado aos presidentes de Federações Aquáticas, não compreendo por que se vangloriar tanto de conquistas dos desportos aquáticos para embasar qualquer indignação com nossa manifestação, que mais uma vez reitero, é legítima. Nós, as Federações, somos partes da CBDA e temos plena consciência dos feitos conquistados por nossos briosos atletas, e mais, fazemos parte do processo de conquista e do status alcançado por nossa competente Confederação.

Presidente, na realidade, se colocarmos na ponta do lápis “tudo” o que Vossa Senhoria repassou pra nossa Federação até hoje, a grosso modo e de forma simplória, sem demagogias e embates, nesses 23 anos a frente da CBDA, não chegariam nem a um repasse de R$ 50,00 (cinquenta Reais) mensais. Por isso é importantíssimo, nesse momento, que Vossa Senhoria enverede esforços junto ao Ministério de Esportes visando um repasse financeiro mensal real as Federações, URGENTE, a exemplo do Boletim 197, e que para o próximo ano em seu PA (Plano de Ação) esteja previsto com os patrocinadores tal verba mensal para as Federações, o que é perfeitamente possível, legal e moral, a exemplo de outras Confederações.

No e-mail endereçado aos presidentes, refiro-me com o termo “matreiro”, o único que poderia ser ofensivo, no entanto, segundo Silveira Bueno e Aurélio Buarque de Holanda, matreiro significa: “astuto”, “sabido”, que são qualidades de uma pessoa; nenhum tolo, uma pessoa não inteligente conseguiria perdurar em um cargo por tanto tempo como Vossa Senhoria. Agora, sem melindres ou zangas, convenhamos: o termo utilizado não afeta a honra de ninguém.

Coaracy, permita-me chamá-lo apenas assim, gostaria de lembrá-lo que o sucesso dos desportos aquáticos brasileiros que você tanto se vangloria, em especial a natação, pertence a todos nós. Ele está presente desde o trabalho inicial de aprendizagem com os atletas, a contribuição dos primeiros técnicos e dirigentes dos Clubes, a participação da família, o trabalho abnegado das Federações estaduais e logicamente também da CBDA, na pessoa do Presidente e demais funcionários e seus patrocinadores. Por isso é que a CBDA está entre as mais bem conceituadas Confederações Desportivas do Brasil, é um órgão até certo ponto independente, porém não poderemos deixar de enfatizar e lembrar que a CBDA é constituída, conforme Estatuto, pelas Federações dos Estados e mais o Distrito Federal.

Vossa Senhoria é sabedora que não vivemos mais em um estado de exceção, nem no País e nem na CBDA, como outrora ocorria com a CBN, e as manifestações orais ou escritas estão dentro desse contexto democrático atual, onde “não cabe” mais ameaças de intimidação a um Presidente de Federação, em uma situação de rentear também as demais Federações.
Fique tranquilo, que não há nenhum movimento nacional visando parar o Calendário da CBDA encabeçado por mim ou por qualquer outro Presidente de Federação, tão pouco em querer removê-lo do cargo, que foi conquistado de forma legítima em Assembléia Geral e apoiado por todos nós e com declaração de voto. A exemplo de outros Estados, estou sim é preocupado com o futuro da natação de minha região, que sem suporte financeiro, se continuar cambaleante como está, refletirá na ponta do sucesso da própria CBDA, muito bem exposto por V.S.ª.

Pra finalizar, digníssimo Presidente, informo-lhe que essa pendenga não é de fórum pessoal, pois é meu dever como cidadão, Presidente de Federação que é partícipe de uma Assembléia Geral, de uma das maiores instituições desportivas do Brasil, a CBDA, me comunicar pessoalmente e por outros meios de comunicação com os demais colegas de presidência, visando reunirmos forças de reivindicações, de sugestões e propostas que
proporcione obter melhorias para os desportos aquáticos de nossas regiões, para que, ainda, e consequentemente, possamos ter uma natação de primeira qualidade, não somente no topo mas, a partir de sua base, para que depois de 2016 não tenhamos que começar tudo do zero.

Cordialmente,

Nadylson M. B. Rodrigues
Presidente da
Federação Aquática do Estado de Rondônia – FAER

C/C – Aos Presidentes de Federações.

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *