TOUCHÉ! ELE É O CARA!

Não é de hoje que tenho admiração pelo Alberto Murray.

Considero ele uma pessoa inteligente, correta, idônea, com um excelente índole e ainda por cima, possui opiniões muito parecidas com as minhas…

Hoje ele postou um texto em seu blog.

Expressa EXATAMENTE o que eu penso, mas de uma forma que eu não saberia descrever em palavras com tanta propriedade.

Concordo com ele em gênero, número, grau e espécie!

Sou 100% da mesma opinião.

Alberto, parabéns! Um abraço!

FISCHER.

________________________________________________

De vez em quando alguém me pergunta porque eu gasto tempo e energias indo atrás de pessoas e instituições que, no meu entendimento, não fazem bem ao Brasil. “Deixa esses cara para lá”, “Não vai dar em nada mesmo”‘, “Para de dar murro em ponta de faca”, são frases que escuto.

Pois bem, não é de hoje que eu sou chato. Sempre tive esse defeito de protestar diante de qualquer injustiça, de dar minha cara a tapa, mesmo quando eu não tinha nada a ver com o assunto. Muitas vezes, foi a timidez alheia em face de algum ato de autoritarismo que me motivou a espernear.

Um grande mal é a acomodação. É esse sentimento de “deixa para lᔠque dá azo às ações maléficas de muita gente. Como eles acham que ninguém vai fazer nada mesmo (e que se alguém fizer, haverá um jeitinho), arvoram-se em cometer as mais insanas estrepolias com dinheiro público.

Pois eu não sou assim, definitivamente. Compro brigas que não são minhas. Adoro desafiar essa turma com síndrome de pequenos Deuses. Rogojizo-me em ver um corrupto em palpos de aranha. Não aprecio aquele tipo de gente que se furta a fazer um comentário com medo de desagradar alguém; que nunca emite opiniões; que não tem inimigos, até porque esses não têm amigos. Seus círculos de relacionamento restringem-se às suas conveniências. Ora estão em um bando, ora estão em outro, de acordo com aquilo que melhor lhe convier.

Não espero heroísmo de ninguém. Cada um sabe onde seu calo aperta. Claro que é mais fácil aquietar-se, deixar passar, fazer cara de paisagem do tipo “isso não é comigo”. Mas se cada brasileiro, ou brasileira, protestasse cada vez que visse alguma coisa errada, certamente viveríamos em um País bem melhor. Por exemplo, serviços públicos mal prestados, é sinônimo de cidadania precária.

A grande verdade é que a maioria das pessoas prefere não se meter. E assim, aos trancos e barrancos, vamos levando.

Então, saibam que o boboca aqui não desiste nunca.

Alberto Murray Neto

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *