O “TIMING” DA FILIPINA…

Eu gosto muito do site www.goswim.tv

Tem bastante informação boa: educativos, séries, notícias, enfim, conhecimento sobre natação em formato de vídeo! Uma didática bem interessante.

Tem até um “app” para iPhone, onde você pode ver os vídeos todos na palma da sua mão! Com atualizações semanais. Bem bacana…

Enfim, esse vídeo que hoje eu vou postar, fala sobre o momento correto de fazer a golfinhada na filipina. É um vídeo de fevereiro desse ano, e eu já tinha visto ele a dois meses atrás, mas justamente esperei para chegarmos mais próximos do Maria Lenk, para postá-lo aqui.

Já foi um assunto BASTANTE polêmico, desde 2004, quando o Kitajima ganhou os Jogos Olímpicos fazendo esse movimento (que na época não era permitido em nenhum momento); e por esse motivo, a regra logo depois mudou.

O interessante do vídeo é que ele mostra algumas opções legais (quando digo legais, refiro-me à conformidade com a lei/regra), para que saibamos que existe mais de uma maneira de fazer a golfinhada dentro da filipina sem sermos desclassificados.

Infelizmente alguns árbitros aqui em SC não conhecem muito bem essa regra, e por esse motivo fui desclassificado nos JASC do ano passado.

Mas, deixa pra lá, o objetivo do post não é esse. Mas sim auxiliar os jovens peitistas a utilizarem a regra para serem mais rápidos.

O vídeo é auto-explicativo, o narrador faz comentários pertinentes o tempo todo. Mas o que gostaria de ressaltar aqui é: MOVIMENTO ASCENDENTE DE PERNAS NÃO CARACTERIZA GOLFINHADA!

Então vocês poderão ver no vídeo, que o atleta “prepara” a golfinhada com um movimento de pernas para cima, mas suas mãos estão unidas (e isso não é ilegal). Somente antes de fazer o movimento para baixo (golfinhada), que ele então separa as mãos para iniciar a puxada.

UM ABRAÇO!

FISCHER.

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *