A CHEGADA DO 50 PEITO…

Vários jornalistas me ligaram hoje para saber minha opinião sobre a suposta pernada irregular do Felipe França na chegada dos 50 peito.

A minha opinião é essa que está aí embaixo e foi a mesma resposta que dei a todos que me fizeram a pergunta. Segue a redação da forma como enviei aos profissionais dos jornais, site e televisões. Tudo isso para que não haja dupla interpretação.

“Olhando o vídeo isoladamente, em slow motion e várias vezes, me parece que realmente houve um movimento irregular por parte do Felipe. Mas se os árbitros não viram na hora e não desclassificaram ele no momento da chegada, não adianta do gringos “chorarem sobre o leite derramado”.

É o mesmo caso do gol de mão do Maradona em 1986. Todo mundo viu (depois, por replay), que ele fez o gol com a mão. Mas na hora, o juiz considerou o gol válido e a Argentina foi campeã. Não importa o quanto nós achemos que foi irregular, o título está lá e ninguém irá tirá-lo da argentina.

Mesmo porque, não acredito que o juiz roubou, mas simplesmente ele não viu o Maradona usar a mão. Quando ele apitou o gol, tinha certeza que o gol era “legal”. E é isso o que importa. Afinal o juiz é humano, e por isso, sucetível ao erro.

Da mesma forma, tenho certeza que os árbitros do mundial de natação não “roubaram”… Apenas não viram…

Não dá pra dizer se o França teve ou não intenção de fazer um movimento irregular, a prova é muito rápida, a adrenalina está a mil, nessa hora, você só pensa em tocar o placar o mais rápido possível.

O “choro” é livre e qualquer um pode reclamar e achar ruim. Mas a verdade é que o título é dele e ninguém vai tirar essa medalha do Felipe. Parabéns ao atleta. Resultado muito expressivo”.

p.s.: muito embora eu ache que há muito tempo os recurso com câmeras de vídeo e filmagens deveriam ser usados para “tirar dúvidas” dos árbitros… exatamente como é feito na NBA(basquete), NFL(futebol americano), ATP(tennis), etc…

Segue o vídeo:

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *