QUE DECEPÇÃO…

Na última terça-feira que passou, a pedido do presidente da FELEJ (Fundação de Esportes e Lazer de Joinville) Jorge Nascimento e do Prefeito da cidade, Carlito Merss, juntei-me e uma pequena comitiva para ir a Florianópolis (FESPORTE) para a votação da escolha da cidade sede dos JASC 2012 (Jogos Abertos de Santa Catarina).

Como fui um atleta que despontei no esporte através dessa competição (nado ela desde 1993 e fui campeão e recordista por 15 anos consecutivos), pensaram eles ser minha presença muito importante.

Sou nascido em Joinville e AMO essa cidade. Já defendi os maiores clubes do Brasil, mas sempre permaneci treinando aqui. Gostaria MUITO de nadar os JASC em casa! Seria algo fantástico!

A disputa estava entre duas cidades: JOINVILLE e CAÇADOR.

O formato de escolha era esse: muito parecido com a escolha para sede dos Jogos Olímpicos, guardadas obviamente as devidas proporções.

A comitiva de cada cidade fazia sua apresentação, mostrando a sua estrutura e explicando o porque a cidade deveria ser escolhida.

Essa apresentação era mostrada em um auditório para 21 conselheiros da FESPORTE, e cada qual, em votação secreta e sem apresentação de argumentos, fazia sua escolha. Então a cidade que obtivesse a maioria simples dos votos presentes era a escolhida para sediar os JASC 2012.

Mas que DECEPÇÃO!!!

Joinville iniciou os trabalhos. Mostrou um vídeo e posteriormente uma apresentação em Power Point. Mostrou vários Ginásios, locais de competição, piscina, pista de atletismo, meios de transportes para atletas, alojamentos, hotéis, enfim, toda a estrutura necessária para fazer um grande e bem organizado JASC.

Então fui chamado como um dos atletas mais importantes da cidade e fiz um pequeno “discurso” sobre como os JASC eram tal qual uma Olimpíada ou Pan-Americano, mas em tamanho bem reduzido, e que o mais importante na escolha da cidade era dar a melhor condição de estrutura para o atleta competir, ou seja, bons locais de competição, alojamento e transporte.

Os conselheiros balançavam suas cabeças comigo assentido, concordando com meus argumentos, e eu pensava comigo: – “Que bom, eles captaram o sentido”.

Até parece…!

Após uma apresentação medíocre por parte da comitiva de Caçador, onde NENHUM local de competição ou estrutura foi mostrado, inclusive com o prefeito de caçador dizendo que: “não devemos nos ater a estrutura da cidade, mas a vontade e o carinho da cidade em sediar tal evento”.

Ora, como não devemos nos ater a estrutura de cidade?! Isso é simplesmente o mais importante!

Enfim, logo após a apresentação pensei comigo: – “Já era! Não existe nenhum motivo REAL para Joinville perder para Caçador”.

Ledo engano…

Foi um MASSACRE! Dos 21 conselheiros, 3 faltaram. Sobraram 18. O placar final: 13 a 5 para Caçador!!! Pasmem e acreditem se quiserem…!!!

Mas tudo se explica com uma palavra: POLÍTICA!

Infelizmente o partido do prefeito de Joinville não é o mesmo do partido do prefeito de Caçador, que nesse caso, é o mesmo da situação do Governo atual do estado e do próximo Governador eleito nessas eleições.

Os conselheiros, em sua maioria com o “rabo-preso”, tiveram que votor de acordo com o partido da situação do governo atual do nosso estado, tudo isso para “retaliar” o partido de oposição que é mesmo do prefeito de Joinville.

De qualquer maneira, UM TREMENDO ABSURDO!

Aqui não me interessa qual partido está em qual lado. No momento, sou apartidário. Acho que se trocássemos os lados do partidos, provavelmente o mesmo aconteceria. Ninguém é “santinho”. Tudo é um jogo de interesses. E aí que está o erro!

Enquanto no Esporte local, regional, estadual, nacional e mundial, a política estiver envolvida dessa forma (prejudicando os atletas e o brilho da competição) fazendo escolhas partidárias em detrimento do bem estar dos atletas, o esporte perde seu sentido.

Uma pena… Uma lástima… Uma situação que causa náusea e desconforto a qualquer atleta de bem que esteja comprometido com seu trabalho: DAR O MELHOR RESULTADO!

UM ABRAÇO!

FISCHER.

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *