GLOBO E SUAS AFIRMAÇÕES ESDRÚXULAS!!!

“Na piscina, BATER RECORDES MUNDIAIS NUNCA FOI TÃO FÁCIL!!!”

Cara, chega a dar RAIVA! Claro, é MUITO fácil quebrar um recorde mundial… Nem precisa treinar para fazer isso!

Vamos lá! Basta colocar um Jaked ou X-Glide, pular na água e… tchan, tchan, tchan, tchan….RECORDE MUNDIAL!

Putz grila! Pára com isso!!!

A rede Globo as vezes “força a barra” de um jeito que tenho vontade de quebrar a TV! Sério…

“O problema é que os heróis do passado foram esquecidos!” ESQUECIDOS?! Só se esquecido pela Globo… Esquecidos porque?! Porque o recorde mundial não é mais dele (herói do passado)….???? Essa afirmação não tem NEXO!

Alguém esqueceu, por acaso, do Carl Lewis????

Confiram no Blog do Coach a matéria:

http://www.bestswimming.com.br/blog/index.php?itemid=8971

E meu amigo Alex que me desculpe (tenho muito respeito por ele, e nesse caso, obrigo-me a discordar)…

…Mas de “fantástica” a matéria não tem nada!

Eu já escrevi sobre isso no dia 15 de maio desse ano… E volto a postar a mesma:

COMPARAÇÃO SEM NEXO… (http://www.eduardofischer.com.br/blog/index.php?itemid=199)

Todos os dias eu acordo as 7h da manhã, e enquanto faço e tomo meu café da manhã, vou assistindo o Bom dia Brasil, programa de jornalismo matinal da Globo…

E sempre é assim, algumas matérias interessantes, outras nem tanto… Algumas bem fudamentadas, outras nem tanto… E as vezes, matérias que não transmitem NADA a realidade…

Por exemplo:

Em uma matéria, hoje, a emissora fazia um comparativo entre a quebra de recordes nas piscinas e nas pistas de atletismo… Uma vez que final de semana realiza-se no Rio, um importante campeonato de atletismo.

A matéria afirmava que os recordes da natação eram fruto exclusivo dos “novos trajes tecnológicos” e como hoje no atletismo não existem esses trajes, não havia muitas quebras de recordes mundiais na modalidade. E que os tempos da década de 80, no atletismo, ainda eram tempos de referência hoje em dia, diferentemente da natação, tudo em função dos trajes. Como se no atletismo era o homem sozinho, mas na natação era homem + traje…

Ora, que ABSURDO!

É Obvio que os trajes ajudam! Mas dizer que a natação só evoluiu por causa dos trajes é forçar a barra!

Claro que a evolução no atletismo agora é mais lenta! Nós, seres humanos, somos animais exclusivamente terrestres! Caminhamos e corremos desde os primórdios dos tempos! O tempo de estudo e evolução da “técnica” de correr, tem muitos mais anos que de nadar!

Olhe a técnica dos corredores em 1980. Muito parecido com hoje, não?! E agora olhe a técnica de nado dos atletas em 1980 comparado com hoje! COMPLETAMENTE DIFERENTE! Mas por que?! Pois somos animais terrestres. Nascemos para andar e correr. Não para nadar. O homem ainda não sabe tudo sobre como nadar mais rápido. Imagina há 30 anos atrás!

A natação é um esporte muito dinâmico! Muda-se de estilo e técnica com muita freqüência. Sempre na tentativa de ser alguns centésimos mais rápido.

O fato, por exemplo, de agora poder-se dar uma golfinhada a cada filipina, dá um melhora de tempo relativamente grande. Já no atletismo, não existe uma mudança de regra desse tipo, é mais difícil melhorar tempos.

Não nego que os trajes colaboraram muito para essa evolução, mas não podemos esquecer o treino, a técnica, a força, a hidrodinâmica, etc. Assim como não podemos olhar somente para os trajes e fechar os olhos para o Doping! Parece que é isso que está acontecendo. Ninguém mais fala em doping, só em traje!

Mas acho que, se existe limite para o homem, ele está mais próximo no atletismo do que na natação… Afinal, você já tentou respirar embaixo da água? Ainda é meio difícil, né?! Hehehe….

Abraço!

FISCHER.

About Eduardo Fischer

Eduardo Fischer é catarinense e natural de Joinville. Ex-Atleta Olímpico de natação da seleção brasileira e medalha de bronze no Mundial de Moscou, Fischer defendeu o país em dois Jogos Olímpicos (Sydney/2000 e Atenas/2004), 6 Campeonatos Mundiais e 1 Pan-Americano (Prata e Bronze). Bacharel em Direito e Advogado pela OAB/SC, Eduardo é especialista em Direito Empresarial pela PUC/PR e em Direito Tributário pela LFG/SP. Atualmente aposentado das piscinas, trabalha com Consultoria Tributária em um respeitado escritório de Advocacia (CMMR Advogados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *